Conheça a história da Cooperativa de Reciclagem Unidos pelo Meio Ambiente (CRUMA)

Criada por um grupo de catadores de materiais recicláveis em 1996, a Cooperativa de Reciclagem Unidos pelo Meio Ambiente (CRUMA) é um exemplo de fé, perseverança e luta de um povo simples e cheio de força de vontade. Inicialmente, o objetivo do grupo era a sobrevivência econômica. Hoje, além da geração de trabalho e renda, há na cooperativa a conscientização mútua sobre a importância da preservação ambiental e da inclusão social como um todo.

O grupo de catadores que se reuniu para montar a cooperativa, era formado por Roberto Laureano da Rocha, Wilson Secário, Maria José Candido, Maria Aparecida Felipe, Alessandra Candido Morais e Osvaldo Dias dos Santos. Em 1° de maio de 1997 (Dia do Trabalho) a Cruma teve sua fundação oficial.

Antes, a Cruma era sediada na Vila Varela, em Poá, depois passou a beneficiar seus materiais num galpão em Calmon Viana, onde hoje funciona seu centro de Triagem. Hoje, a cooperativa processa cerca de 80 a 120 toneladas de materiais recicláveis por mês (papel, metal, plástico e vidro).

Hoje, a Cruma conta com um grupo de 45 catadores, divididos entre trabalho interno e externo e é autogestionária, ou seja, é gerida pelos seus próprios membros, onde todas as propostas são decididas em reuniões e assembleias.

Com o valor obtido pela venda dos materiais recicláveis são pagas as despesas e o restante é dividido entre os catadores, proporcionalmente à participação de cada um deles.

A cooperativa faz coleta de materiais de segunda à sexta-feira, em residências, empresas e órgãos públicos, cadastrados no programa de Coleta Seletiva, a qual é realizada em vários bairros da cidade.

A coleta de materiais recicláveis feita por uma cooperativa de catadores é muito importante para a cidade, pois gera oportunidade de ocupação e renda, incentivando o desenvolvimento econômico e socioambiental.