Ferramenta que analisa custos e benefícios da reciclagem de resíduos é lançada em Campinas

Os representantes da Rede de Negócios Sustentáveis Cata Sampa e do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) participaram do lançamento da ferramenta Soco Tool, que aconteceu na FEC / Unicamp, em Campinas, durante o workshop sobre custos e benefícios da coleta seletiva solidária. O evento, realizado no mês de abril, contou com a presença de gestores públicos, catadores de materiais recicláveis, cooperados, empresas e pesquisadores municipais.

A ferramenta possibilita avaliar os diferentes sistemas de reciclagem, bem como compreender as interações entre os diferentes agentes. “Individualmente cada agente pode analisar sua situação financeira e quais benefícios sociais, ambientais e econômicos ele oferta à sociedade. Além disso, para o poder público, auxilia no processo de tomada de decisão sobre o sistema de gestão de reciclagem a ser adotado”, explica Emília Wanda Rutkowski, professora associada do Departamento Saneamento e Ambiente e coordenadora do laboratório FLUXUS (Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo/UNICAMP); e coordenadora de graduação em arquitetura e urbanismo da UNICAMP.

A ferramenta SoCo – sigla inglesa para Solidary Collection permite detalhar os itens que compõem custos e receitas para o desenvolvimento das atividades que envolvem a reciclagem de resíduos. “Ela produz métricas relacionadas a vetores econômicos, sociais e ambientais”, afirma Emília.

A intenção do grupo de pesquisadores envolvidos com a construção da SoCo  é criar uma versão online de uso público.  A ferramenta foi desenvolvida por meio de uma parceria entre a Unicamp, o Oris, o Insea, o Instituto Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Sustentabilidade (Sustentar), o MNCR, a Universidade de Leeds, uma das maiores instituições de ensino do Reino Unido, e o CMRR.

O Software é destinado aos municípios, empresas, empreendimentos solidários de catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis. “Inicialmente, para testarmos a ferramenta, utilizamos dados do município de Itaúna, que possui um modelo bem sucedido de implantação de coleta seletiva em Minas Gerais, e de Campinas, cidade onde está situada a Unicamp, uma das universidades parceiras”, finalizou Emília.