Rede Cata Sampa convoca bases filiadas para discutir melhoramentos

Para os catadores das bases filiadas à Rede Cata Sampa, melhoramento das relações bilaterais trará benefícios a todos (Fotos: Sam Santos)

Por Samuel Ferreira

Catadores de diversas localidades se reuniram em São Paulo para discutirem ações que promovam o melhoramento na relação entre a Rede Cata Sampa e suas cooperativas bases.

Realizado no último dia 25, na Biblioteca Cultural ‘Ler é Preciso’, da cooperativa Coopamare, o encontro permitiu a socialização de informações sobre o andamento de cada base, referente à gestão administrativa, planejamento e logística, entre outras questões.

A necessidade de um eficaz plano de negócios para a melhoria da comercialização em conjunto e a criação de um pólo de comercialização da Rede Cata Sampa na cidade de São Paulo também foi sugerida pelos catadores, fator que resolveria problemas de distância e aperfeiçoaria a logística.

O catador Eduardo Ferreira de Paula (Dudu), atual presidente da Rede, afirmou que convocou a reunião devido à necessidade de um maior diálogo entre as bases e sua rede de comercialização.

“O resultado dessa reunião foi bom, pois cada um falou de suas angústias e expectativas, ansiosos pela melhora da rede, num processo coletivo”, disse.

Dudu e Valquíria: há necessidade de mais diálogos entre a Rede e as bases, além de outros atores sociais

Segundo a catadora Valquíria Cândido da Silva, da Cooperpac, base filiada à Rede Cata Sampa, a reunião serviu para alinhar todos num mesmo pensamento, sobre o papel da Rede, do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), do Poder Público e das empresas no Acordo Setorial.

“O que mais se destacou na reunião de hoje foi a questão da comercialização de diversos tipos de materiais e a falta de diálogo entre as cooperativas e o Poder Público, além da união entre as redes”, disse.

O catador Roberto Rocha, integrante da atual Direção da Rede, falou da necessidade de se realizar um grande planejamento de trabalho, envolvendo todas as bases, onde, além de apoio técnico e administrativo, a Rede estará presente para organizar tudo. Para isso, Rocha disse contar com a fidelidade e o apoio das bases.

“Estamos vivendo, na verdade, o momento dos negócios solidários. Se não abrirmos os nossos olhos, não se adequarmos e não lutarmos juntos, nós vamos ficar à mercê de outros”, disse.

Por sua vez, o catador Wilson Secario (Kula), do Conselho Fiscal da Rede, entende que o clamor das bases por mais aproximação coincide com a atual discussão interna da Rede, de se aproximar mais com as bases. “Nós estávamos um pouco dispersos, mas com essa reunião de hoje serão tiradas as metas, onde a Rede e o Movimento estarão mais presentes”, disse.

Roberto Rocha (centro) ressaltou a necessidade de melhor preparação dos catadores no mundo dos negócios solidários

Roberto Rocha (centro) ressaltou a necessidade de melhor preparação dos catadores no mundo dos negócios solidários

A catadora Leiliane Santana, da direção da Rede, frisou que, realmente, as reivindicações das bases vieram de encontro à preocupação da Rede Cata Sampa em sempre buscar meios de resolver as questões bilaterais.

“Nós, nas reuniões do Conselho Administrativo e do Conselho Gestor, estamos focando nesses pontos, em como fazer para aproximar melhor as bases da Rede e a Rede das bases”, disse.

FUNDO PAULISTANO DE RECICLAGEM

Um dos temas abordados foi sobre a preocupação dos catadores quanto à gestão do Fundo Paulistano de Reciclagem, através da Cooperativa de Segundo Grau, composta por catadores representantes de cooperativas.

A preocupação apontada pelos catadores seria a garantia de que os recursos do Fundo não beneficiassem somente as cooperativas conveniadas e certificadas, mas também os catadores avulsos e as organizações de catadores não conveniadas.

Foi levantada ainda a questão de que o sistema de Coleta Seletiva da cidade de São Paulo possa vir de encontro ao fortalecimento das comercializações conjuntas entre as redes de cooperativas.

Os catadores representantes da Rede Cata Sampa oficializaram total apoio à Cooperativa de Segundo Grau, para o sucesso de sua gestão, onde se colocaram à disposição para colaborar em qualquer situação, seja ela técnica, administrativa ou jurídica.

A reunião em São Paulo teve a presença das seguintes bases filiadas: Nova Esperança, Casa do Catador, Sempre Verde, Nova Glicério, Coopamare, Coopercral, Cooperpac, Filadelphia, Cooperleste, Chico Mendes e catadores do Clube de Mães, além das bases Cruma (Poá) e Coopreciclável (Guarulhos).

OPINIÃO DE ALGUNS REPRESENTANTES DAS BASES DA REDE CATA SAMPA

Montagem arte site-01

       SETOR DE COMUNICAÇÃO REDE CATA SAMPA

NOVA DISPOSIÇÃO DOS PATROCINADORES CATA SAMPA-01